Podemos dividir o formato do pé em três grandes grupos: os pés plantígrados (neutro, normal), os pés cavos e os pés planos.

Esta divisão é baseada na altura do arco plantar medial (o “arco do pé“), sendo que quando esta altura é maior do que o normal, fisiológico, é chamado de pé cavo e quando é menor que o fisiológico (e muitas vezes está ausente) é chamado de pé plano.

Tipos de pé

Tipos de pé

A maioria dos casos podem ser classificadas utilizando apenas o exame físico, e em alguns casos pode-se recorrer a exames como o RX, a podoscopia e a baropodometria.

O pé cavo (arco elevado) geralmente é associado a um posicionamento do calcâneo (parte de trás do pé) em varo (“para dentro“), enquanto o pé plano tem por característica o calcâneo em valgo (“para fora“).  Por isso são habitualmente chamados de Pé Plano Valgo e Pé Cavo Varo.

Há outros tipos de deformidades mais raras e mais complexas, e geralmente são associadas a sequelas de fraturas, doenças neurológicas e complicações do diabetes.

Veja qual a relação de formato do pé X pisada

Pé plantígrado Pisada neutra
Pé cavo-varo Pisada supinada
Pé plano-valgo Pisada pronada

Ter o pé plano ou pé cavo não significa ter o pé anormal. Porém, pelas características biomecânicas de cada um, há uma maior chance de ocorrer alguma lesão com o passar dos anos.

O pé cavo-varo (supinado) é um pé com menos flexibilidade (mais rígido). Ao combinar esta característica com o formato do pé, algumas pessoas desenvolvem problemas como

  • Entorses de repetição do tornozelo
  • Sobrecarga do tendão de Aquiles e dos tendões fibulares
  • Fraturas por stress e dor na região lateral do pé
  • Dedos em garra, metatarsalgia, fasceite plantar 

O pé plano é um pé mais flexível. Sendo assim, há maior mobilidade nas pequenas articulações com algumas consequências, como por exemplo:

  • Artrose e dor no tornozelo
  • Sobrecarga das estruturas mediais (parte de dentro) do tornozelo: tendão tibial posterior, ligamento deltoide
  • Encurtamento muscular da panturrilha causando fadiga muscular, dores no tendão de Aquiles e na fáscia plantar. 

O tratamento de cada doença vai depender obviamente dos sintomas, e pode incluir desde medidas preventivas, fisioterapia, calçados adequados, palmilhas e até mesmo cirurgias.

Veja mais sobre (link) calçados e palmilhas.